Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Menu

Conseguirá Hunt fazer o seu melhor registo em Mostar?

Gary Hunt
O saltador 6x campeão chega à Bósnia-Herzegovina sem nenhuma vitória em saltos a partir da ponte

O inglês Gary Hunt tem sido quase imparável na Red Bull Cliff Diving World Series desde a sua criação, em 2009. 29 vitórias em 63 eventos deram-lhe seis títulos, incluindo os últimos três em anos consecutivos (2014, 2015 e 2016), mas há um obstáculo que tem estado no caminho do atleta e que ainda não foi superado: as pontes. Das quatro vezes que competiu em pontes – duas em Bilbau e duas em Mostar – não conseguiu vencer em nenhuma delas. Com a temporada de 2017 a chegar à sua penúltima etapa, na Stari Most (Bósnia-Herzegovina), conseguirá Hunt superar este desafio e, ao mesmo tempo, pular para a liderança da classificação masculina?  

Para um homem com um registo formidável a partir da plataforma de 27m, esta é uma estatística estranha na carreira. Mostar e Bilbau são os únicos locais por onde a World Series passou pelo menos por duas ocasiões e em nenhuma delas Hunt conseguiu chegar ao triunfo. Olhando de um pontos de vista mais técnico, há algumas diferenças óbvias entre saltar de pontes e saltar de outros locais mais convencionais, que podem explicar este facto.

Gary Hunt não se mostrou nervoso durante os treinos. Foto: Predrag Vuckovic/Red Bull Content Pool.

"Visualmente é um pouco mais desafiante, porque tens menos pontos de referência para a entrada na água," explica Hunt. "Quando saltas de um penhasco consegues ver o nível da água quando ela embate exatamente contra a parede da rocha, o que não acontece numa ponte, onde tens essas referências nas duas margens. Tanto na parte da frente, como na parte de trás, apenas vês um longo curso de água."

"A corrente do rio também pode dificultar o processo de salto. Sinto que, em alguns saltos em que precisas de mais tempo de manobra, num lago calmo é mais simples encaixar a entrada na água. Aqui é mais complicado."

Mas, o britânico é rápido a apontar que estes factos não estão relacionados com uma dificuldade específica dele nestas condições, mas sim apenas coincidências.

"Antes desta semana nem sequer sabia desta estatística," diz Hunt, "sinto que é uma coincidência. Já venci outros eventos fora da World Series realizados em pontes. Dito dessa forma, é uma estatística que não me agrada e vou dar o meu melhor para a contrariar neste fim de semana."

O britânico terminou em 10º na ponte de Bilbau em 2015, mas também já foi 2º em duas competições com saltos na ponte - Bilbau 2014 e Mostar 2016. Foto: Sebas Romero/Red Bull Content Pool.

Mas, o que dizer da pressão extra que Hunt tem sobre os ombros desta vez? Com apenas duas etapas por realizar, o saltador está numa posição que não é habitual. Nos últimos três anos, Gary Hunt teve o título na mão com um evento por realizar, mas em 2017, numa época que tem sido a mais imprevisível de sempre, ele ainda está em segundo lugar atrás do seu compatriota Blake Aldridge.

Quatro vencedores diferentes em cada uma das quatro etapas realizadas mostram o quão renhida está a zona superior da tabela de classificação masculina, com 70 pontos a separar os cinco primeiros saltadores. A seguir de perto o duo britânico está o mexicano Jonathan Paredes e os norte-americanos David Colturi e Andy Jones.

Jonathan Paredes. Foto: Predrag Vuckovic/Red Bull Content Pool.

"Para mim, até é difícil pensar em posições e rankings quando estou concentrado no topo da plataforma," diz Hunt. "Sei que é mais importante vencer porque estou na perseguição do primeiro lugar, mas o foco está virado única e exclusivamente para a execução técnica de cada salto."

"Resolvi os problemas que estava a ter com alguns saltos e vou voltar a usar o "front triple with 3 ½ twist". Ainda não estou a pensar no título porque antes quero fazer o meu melhor nesta etapa e poder retribuir estes fãs por todo o apoio que têm demonstrado."

O saltador de 33 anos está consciente que o seu registo neste local não é o melhor, mas que vai dar tudo para poder voltar ao topo e melhorar as probabilidades de alcançar o quarto título consecutivo na World Series.

Acompanha o evento em direto

Este evento será transmitido em DIRETO no dia 16 de setembro, a partir das 13h30 de Portugal Continental (14h30 locais) www.redbullcliffdiving.com, na Red Bull TV e Facebook. A Red Bull TV está disponível em Smart Tv's, consolas de jogos, aparelhos móveis e outros. Sabe mais em about.redbull.tv.

Se perderes o evento ou se simplesmente quiseres ver toda a ação novamente, a repetição estará disponível on demand alguns minutos após o evento.