A mais pura ação e adrenalina a partir das rochas

Jonathan Paredes
O deslumbramento do cliff diving alcança novos patamares no Arquipélago dos Açores

"Saltar a partir das rochas em Portugal é definitivamente um dos pontos altos do ano," diz Gary Hunt, pentacampeão do Circuito Mundial, "é levar o desporto às origens. Tens de improvisar; é realmente natural." Saltar a partir de uma altura de 28m sem qualquer proteção, usando apenas a concentração, técnica e controlo do corpo; tudo em menos de três segundos alcançando velocidades de 85km/h, e ser pontuado pelos truques mais fascinantes - é essa a essência do cliff diving. Saltar diretamente das rochas é um jogo completamente diferente - para a etapa mais natural da temporada, os melhores saltadores do circuito masculino e feminino regressam para o aclamado Anel da Princesa, nos Açores, no próximo sábado.

É num local de salto tão alto como um edifício de 8 andares que os cliff divers se sentem em casa, onde se podem desafiar e elevar o seu próprio nível e onde se lançam para grandes aventuras até chegarem à água. Mas, em primeiro lugar, o que é que os leva a fazer a subida para depois se lançarem?

"Cada vez que tenho a oportunidade de saltar a partir de uma rocha é provavelmente, para ser honesto, a parte deste desporto que mais me entusiasma," descreve a lenda colombiana Orlando Duque, "é um lugar criado pela natureza e estamos a usá-lo da forma que podemos, fazendo adaptações dos ângulos de partida que mudam um pouco as posições no ar para evitar as rochas e isso é muito mais interessante. Temos mesmo de colocar de lado algo que aprendemos durante muitos anos para esta situação em específico."

Não há nada mais natural do que saltar diretamente das fenomenais rochas açoreanas. Foto: Dean Treml/Red Bull Content Pool.

Existe boa vontade para quebrar barreiras? Sim, diz Gary Hunt, como cliff diver tens de quebrar regras: "Neste desporto o formato competitivo é muito regulado, e dizem-te o que tens de fazer; mas muitos dos cliff divers tentam encontrar a sua própria forma de fazer as coisas da maneira que querem." Para o britânico, que redescobriu o caminho para a vitória na última etapa, as paredes de cratera vulcânica tornam esta competição a mais complicada da época. Duas vitórias neste local (2015, 2013) são a prova de que também consegue fazer bons saltos a partir das rochas, mas será novamente Hunt o atleta mais versátil e que irá levar a vitória?

O russo Artem Silchenko e o norte americano Steven LoBue também já venceram esta etapa vulcânica, mas ainda não encontraram o seu pico de forma em 2016. Será que a quinta edição irá ter um novo vencedor? O vencedor da primeira etapa da temporada e atual líder do Circuito Mundial, Jonathan Paredes, é definitivamente um dos atletas a ter em atenção esta época. O mexicano de 26 anos está ansioso por aumentar a sua vantagem e vai usar a sua perfeição de salto para alcançar mais uma vitória, a primeira neste local.

Após o enorme sucesso do ano passado, o ilhéu de Vila Franca do Campo irá acolher novamente a competição feminina. Depois da histórica vitória de Rhiannan Iffland na sua primeira aparição numa etapa do Circuito Mundial, no Texas, a australiana de 24 anos de idade chega a Portugal como a líder do ranking. Com este dasafio acrescido de saltar das rochas com 20m de altura, a porta está aberta a surpresas, mas as saltadoras mais experientes, como a bicampeã do Circuito Mundial Rachelle Simpson (EUA), podem retirar vantagem.

Após uma pausa na etapa dinamarquesa, as mulheres regressam para a segunda de sete etapas da temporada. Foto: Paulo Calisto/Red Bull Content Pool.

Quando os homens e as mulheres da elite do cliff diving se encontrarem no arquipélago dos Açores para a próxima competição do Circuito Mundial será um regresso às origens do desporto: saltos a partir das rochas num local de sonho, com imensos spots nesta épica rocha vulcânica no meio do Oceano Atlântico. Os atletas apenas poderão usar a plataforma nos saltos mais complicados.

 

Vê em direto

Este evento será transmitido em direto no dia 9 de julho a partir das 12h20 (-1 hora nos Açores) em www.redbullcliffdiving.pt e na Red Bull TV. A Red Bull TV está disponível em Smart TV's, consolas de jogos, dispositivos móveis, entre outros. Sabe mais em about.redbull.tv

A repetição estará disponível alguns minutos após o final do evento.

.