Os saltos incríveis estão de volta em 2016

Um atleta na entrada da água em Polignano a Mare
9 etapas são o cartão de visita para o maior Red Bull Cliff Diving World Series de sempre

Desde paraísos naturais e belezas visuais a locais históricos e metrópoles modernas - na sua oitava temporada, o Red Bull Cliff Diving World Series irá ser realizada em locais puros e em zonas urbanas que façam superar os limites dos atletas. Em 2016, este desporto que desafia as leis da gravidade chega a novos locais e também se mantém em sítios já conhecidos dos atletas na América do Norte, Europa, Ásia e Médio Oriente para coroar dois novos campeões em nove complicadas e desafiadoras etapas, incluindo sete competições para o setor feminino.

O Japão e os EAU são as novas adições ao calendário competitivo de 2016, no qual os atletas saltam de uma altura de cerca de 27 metros e atingem a velocidade de 85 km/h quando entram dentro de água em apenas 3 segundos após o salto. Entre junho e outubro, a competição será realizada no Texas, Dinamarca, Portugal, França,Itália, Reino Unido, Bósnia & Herzegovina antes dos dois novos desafios. Os campeões masculino e feminino serão coroados na primeira etapa realizada no Dubai.

Em junho, a temporada de 2016 da World Series tem início na Hell's Gate, no Possum Kingdom Lake, no estado do Texas. Dois penhascos elevados sobre a primeira reserva de água da região, são o ponto de partida da época. A competição seguinte leva o circuito de novo ao solo europeu, mais precisamente a Copenhaga. A capital dinamarquesa proporciona aos atletas uma vista panorâmica do palácio real, Amalienborg, e da Marble Church quando estiverem no topo da plataforma de 27 metros de altura colocada no telhado da Opera House.

Entrando em julho, está marcado um regresso às origens do cliff diving: saltos diretamente das rochas do ilhéu de Vila Franca do Campo, no arquipélago dos Açores, local onde se realiza o evento pela quinta vez consecutiva. Em seguida os atletas partem para La Rochelle, em França. A vila com o adequado apelido de "little cliff" será a casa da elite do cliff diving pela sexta vez em oito anos de World Series. O assustador local na Baía da Biscaia superou em 2015 o seu próprio recorde de maior número de espectadores ao vivo com 75.000 pessoas. Também a caminho de ser um dos locais preferidos dos europeus, Polignano a Mare, em Itália, é onde os penhascos fazem parte do dia a dia da população.

Após uma paragem de três anos, a World Series regressa ao Reino Unido e à Lagoa Azul em Pembrokeshire. A antiga pedreira circular é agora considerada Património Nacional, com os altos penhascos a oferecerem um ambiente semelhante a um coliseu no meio de uma quinta. Da calma e serenidade desta região do País de Gales, os saltadores viajam em direção ao sul, mais precisamente para um local onde os saltos de alturas elevadas são uma tradição secular: a "Stari Most", a antiga ponte de Mostar, na Bósnia & Herzegovina.

Outubro é o mês em que os saltadores vão competir nos locais de estreia no circuito. Sandanbeki, no Japão, é uma falésia ao longo da costa de Shirahama Town e vai dar um toque natural para a penúltima etapa da temporada de 2016. A coroação dos campeões irá ter lugar no final de outubro, na primeira competição do World Series nos EAU. A Marina do Dubai vai ser pela primeira vez o palco da última etapa do ano.

Nunca antes a Red Bull Cliff Diving World Series teve tantas competições do que as que estão calendarizadas para este oitavo ano - nove etapas, incluindo sete competições para o setor feminino e dois novos locais. Desde 2009 que o circuito tem sido uma plataforma de desenvolvimento da modalidade, com a qualidade a subir de ano para ano com os melhores saltadores do mundo nesta especialidade, juntamente com jovens talentos e, desde 2014 com o setor feminino em ação. O cliff diving é um desporto que desafia as leis da gravidade e é julgado pela qualidade dos movimentos que os saltadores realizam durante o voo. Estes atletas saltam a partir de uma altura quase três vezes superior à praticada nos Jogos Olímpicos, sem qualquer proteção, contando apenas com uma concentração, técnica e controlo do corpo excepcionais.

O britânico Gary Hunt reforçou o seu legado ao sagrar-se campeão pela quinta vez em 2015, com uma sequência de cinco vitórias em etapas, totalizando já ao longo da sua carreira 25 vitórias em 50 etapas realizadas desde 2009. A norte americana Rachelle Simpson, que foi a primeira mulher a receber o troféu de campeã pelos saltos a parir dos 20m de altura, defendeu o seu título com sucesso no ano passado. Em 2016, esta competição irá novamente regressar aos seus verdadeiros fundamentos: é puro, rápido e é impressionante.

 

Calendário 2016 - Red Bull Cliff Diving World Series

04/06 - Texas, EUA (feminino | masculino)

18/06 - Copenhaga, DEN (masculino)

09/07 - S.Miguel, Açores, POR (feminino | masculino)

23/07 - La Rochelle, FRA (masculino)

28/08 - Polignano a Mare, ITA (feminino | masculino)

11/09 - Pembrokeshire, País de Gales, GBR (feminino | masculino)

24/09 - Mostar, Bósnia & Herzegovina (feminino | masculino)

16/10 - Shirahama, JPN (feminino | masculino)

28/10 - Dubai, EAU (feminino | masculino)

www.redbullcliffdiving.com/stops