Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Menu

Hunt e Iffland de ouro na Coreia do Sul

Gary Hunt
Os 'invencíveis' voltaram a saborear a glória nos Campeonatos do Mundo da FINA em Gwangju

Gary Hunt e Rhiannan Iffland deram continuidade à sua temporada de 2019 brilhante ao conquistar o ouro nos Campeonatos do Mundo de Gwangju, Coreia do Sul, esta semana.

Hunt saiu da quarta posição para o lugar de bronze com o seu penúltimo salto, mas acabou por assegurar o ouro com o salto mais difícil do seu reportório na sexta e última ronda. O britânico já tinha sido coroado campeão mundial em 2015, mas viu as medalhas escaparem-lhe em 2017 devido a um erro no mesmíssimo ultimo salto.

O segundo título mundial também parecia estar fora do alcance para Hunt, que se encontrava a 30 pontos do líder Steven LoBue a duas rondas do fim. Porém, um salto mortal triplo para dentro com meia pirueta encortou o défice quase para metade. Um 'triple quad' entregou o ouro a Hunt, que fechou a competição com 442.20 pontos.

Com esse último salto, Hunt voltou a ver um pleno de notas 10 por parte do júri, igualando o feito que tinha conseguido durante a etapa do Líbano do Red Bull Cliff Diving. Hunt, 35 anos, tem estado numa classe à parte este ano, vencendo as etapas de El Nido, Polignano a Mare, São Miguel e Beirute, e está a caminho do seu oitavo título mundial.

O campeão mundial de 2017, LoBue, teve de se contentar com a prata. Jonathan Paredes, Campeão do Red Bull Cliff Diving em 2017, foi bronze.

"É difícil de explicar os sentimentos após uma final destas", disse Hunt. "Ainda estou chocado. Aprendi uma grande lição em Budapeste: falhei este salto porque não conseguia aguentar a pressão. A execução do salto não estava tão segura então. Melhorei muito desde 2017."

Iffland manteve a sua onda vitoriosa de 2019 após tirar um grande salto da cartola na última ronda para bater as rivais Adriana Jimenez e Jessica Macaulay rumo à defesa do título dos Campeonatos do Mundo da FINA.

Jimenez liderava confortavelmente após três dos quatro saltos, com Macaulay em segundo e Iffland fora das medalhas, em quarto lugar. No entanto, a australiana de 27 anos tinha um truque na manga, conseguindo garantir o ouro no salto final por uma margem de apenas 0.15, a mais curta da história da competição. Assim, Jimenez ficou com a prata e Macaulay levou o bronze.

Com este resultado, a nativa de Newcastle conta com duas medalhas de ouro em Campeonatos do Mundo. Jimenez também repetiu a sua prata e Macaulay ganhou a sua primeira medalha mundial.

"É difícil gerir todas as emoções no topo da plataforma", disse Iffland, "mas dei a volta e levei energia positiva. É por isso que amo este desporto."

Com duas rondas para o final da temporada, Iffland está bem encaminhada para um quarto título do Red Bull Cliff Diving, tendo vencido todas as etapas de 2019 até ao momento.