Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Menu

Candidatos ao título preparados para a batalha final no Chile

Candidatos ao título
Está tudo a postos no Lago Ranco, com três homens e três mulheres com o objetivo de chegar à vitória

Uma emocionante Red Bull Cliff Diving World Series de 2017 chega ao seu final no Chile, durante o próximo fim de semana, e, pela primeira vez na história da competição, tanto o título masculino como o feminino ainda estão abertos à luta antes da última etapa. Numa temporada, considerada desde início por muitos como a mais imprevisível até à data, tem correspondido às expectativas, com três homens e três mulheres na corrida pelo triunfo do Troféu King Kahekili no Lago Ranco.

Nos homens, quatro diferentes vencedores nas quatro primeiras etapas deixaram tudo em aberto à entrada para o penúltimo evento, em Mostar, com cinco saltadores na linha da frente rumo ao título. Mas, na ponte velha do Rio Neretva, os norte americanos Andy Jones e David Colturi não estiveram à altura do acontecimento e deixaram de estar no lote de possíveis vencedores, sendo que, para a última etapa, quem parte com possibilidades são os britânicos Blake Aldridge e Gary Hunt, juntamente com o mexicano Jonathan Paredes.

Para Hunt, vencedor de duas etapas nesta temporada, o território que neste momento está a pisar não lhe é muito familiar. Nas últimas três temporadas, o seis vezes campeão e atual líder, competiu na última etapa da temporada sempre com o título na mão. No entanto, este cenário não atormenta o saltador de 33 anos de idade:

"A pressão não é uma novidade," diz Hunt. "Regressando a 2012, a luta que tive com o Orlando foi até ao fim, portanto, é algo em que tenho experiência. Também costumo saltar bem sob pressão e estou confiante com esse pormenor."

O seu compatriota, Blake Aldridge, que recentemente venceu a sua primeira etapa em quatro anos (na Hell's Gate, Texas), está na melhor época da sua carreira. No entanto, o antigo atleta olímpico está a uma distância de 150 pontos para Hunt, mas nada pode ser descartado quando ainda há quatro saltos para cumprir:

"O meu objetivo aqui é conseguir um bom resultado e ver o que acontece," diz Aldridge. "Preciso de vencer e espero que o Gary não esteja feliz nos seus saltos. Há uns anos, terminei em quarto lugar, portanto, se conseguir chegar ao top 2 ou 3 já serei um homem feliz, mas, ter sequer a hipótese de vencer o título é um bom sentimento e seria um sonho tornado realidade se conseguisse mesmo ganhar."

Blake Aldridge. Foto: Dean Treml/Red Bull Content Pool. 

A temporada de Paredes levou algum tempo a florescer, já que demorou a acertar o seu novo (e mais complexo) salto, mas, um segundo lugar no Texas, deixou o atleta de 28 anos na corrida. Para conseguir levar o título para o México, Paredes sabe que este é um evento que tem de vencer:

"Tem sido uma temporada complicada para mim devido ao salto novo," admite Paredes. "Por vezes funciona, mas por outras nem por isso, mas estou contente porque, no geral, tenho conseguido fazer boas performances em todas as competições. Na Bósnia-Herzegovina, o Gary fugiu de mim em termos pontuais, mas espero realmente vencer esta etapa."

Nas mulheres, uma lesão contraída em Mostar pela campeã em título, Rhiannan Iffland, abriu as portas para a sua compatriota Helena Merten e para a mexicana Adriana Jimenez. Agora, com apenas 80 pontos a separar as três saltadoras, está tudo pronto para que a final seja super disputada na luta pela vitória.

Iffland, que parecia ter tudo controlado para vencer mais um título, juntando-o ao conquistado no ano passado, na sua época de estreia, já tinha vencido três das quatro etapas disputadas até então, mas, uma lesão contraída na Stari Most foi suficiente para que a australiana fosse obrigada a parar. No entanto, estas últimas cinco semanas parecem ter sido suficientes para a saltadora recuperar e continuar a ter hipóteses de revalidar o título:

"Estiquei os meus ligamentos cruzados anteriores na etapa de Mostar", explica Iffland. "Desde aí, tenho recuperado a pouco e pouco até voltar a treinar normalmente. Nos últimos cinco dias, voltei a saltar, portanto estou a ganhar confiança e colocar a cabeça no lugar para conseguir alcançar um resultado positivo."

Jimenez, que venceu a sua primeira etapa na carreira durante esta temporada, nos Açores, está a pisar os calcanhares de Iffland e espera que conseguir um bom resultado na última etapa:

"Sinto-me em grande forma," diz Jimenez. "Apenas preciso de pensar num salto de cada vez e desfrutar. Nunca estive nesta posição na minha carreira e estou muito orgulhosa de mim própria."

Helena Merten. Foto: Romina Amato/Red Bull Content Pool.

A última candidata, Merten, tem sido a epítome da consistência durante toda a temporada. Dois segundos lugares e um terceiro deixaram a atleta mais jovem do grupo de saltadoras permanentes com a oportunidade de roubar o título à sua compatriota australiana. 

"Ainda não consigo acreditar," diz a saltadora de 22 anos de idade. "Tive um início de época um pouco aquém, mas estar na corrida pelo título é espetacular. Vou tentar ignorar as condições complicadas e tentar fazer o mesmo que fiz durante a temporada." 

Apesar de Hunt e Iffland serem líderes e favoritos à vitória, é impossível prever todos os nervos, a pressão e o entusiasmo que ocorre durante a última etapa da temporada, sem mencionar as condições climatéricas adversas que se vão fazer sentir na pele dos saltadores, num local que ainda está a entrar na sua época primaveril.

Acompanha o evento em direto

Este evento será transmitido em DIRETO no dia 21 de outubro, a partir das 19h00 de Portugal Continental (15h00 locais) em www.redbullcliffdiving.com, na Red Bull TV e Facebook. A Red Bull TV está disponível em Smart Tv's, consolas de jogos, aparelhos móveis e outros. Sabe mais em about.redbull.tv. Se perderes o evento ou se simplesmente quiseres ver toda a ação novamente, a repetição estará disponível on demand alguns minutos após o evento.