Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Menu

As caras novas do Cliff Diving

New wildcards
Um recorde de cinco novos wildcards estão preparados para agitar as águas em Mostar.

O Circuito Mundial nunca introduziu tantas novas caras de uma só vez como na competição deste ano em Mostar, a penúltima etapa da temporada. Naquele que está a ser o campeonato mais em aberto de sempre, o talento que tem entrado no Circuito é maior e melhor do que nunca. Os novos atletas são de diferentes partes do mundo, trazem uma variedade de experiência consigo e estão entre os 19 e os 31 anos de idade. Continua a ler para saberes mais sobre estes atletas que deves manter debaixo de olho.

Xantheia Pennisi, 19 anos, Austrália

dt_180907_rbcdmos_penn_6548_0.jpg
Xantheia Pennisi salta pela primeira vez da plataforma dos 21m em Stari Most. Foto: Dean Treml/Red Bull Content Pool.

Nascida em Brisbane, Xantheia é a jovem deste grupo de wildcards. Aos 19, a sua carreira desportiva já passou da ginástica aos saltos tradicionais, mas foi o cliff diving que desportou algo nela. Um espetáculo na Austrália, junto com Rhiannan Iffland, foi o começo de tudo. Começou nos 10m, passou para os 15m e para os 17m em 2017 e, em junho deste ano, saltou pela primeira vez dos 20m.

"Tenho muita sorte de treinar com a Rhiannan. Ela dá-me muito apoio e isso desafia-me a aprender mais saltos. A mentalidade dela é muito boa, quero tê-la na minha carreira. É o amor pelo desporto."


Katy Etterman, 25 anos, EUA

dt_180906_rbcdmos_ette_6308.jpg
Katy Etterman (Esq.) conversa com Celia Fernandez durante o treino. Foto: Dean Treml/Red Bull Content Pool.

Durante muito tempo, a envergonhada e sorridente atleta do Minnesota admirou os atletas do Circuito Mundial de longe, nunca considerando a ideia de participar na competição. Uma 'performer' no espetáculo 'The House of Dancing Water' em Macau, Katy Etterman tem uma estratégia simples para a sua primeira participação: manter-se calma, segura, divertir-se e aterrar com os pés.

Depois de tantos anos a ser uma espectadora passiva, o sonho começa a tornar-se realidade este fim de semana em Mostar, onde tudo ainda é um bocado surreal e impressionante para a atleta de 25 anos.

"Não estou muito nervosa com o aspeto competitivo. O nosso desporto permite-nos estar nervosos o suficiente com aquilo que estamos a fazer, pelo que a competição vem em segundo lugar relativamente aos meus saltos."

Celia Fernandez, 29 anos, Espanha

Uma personagem bastante animada, a madrilena Celia é a mais velha das mulheres que competem pela primeira vez este fim de semana, mas considera-se uma criança de coração, que adora brincar a todo o tipo de jogos sempre que o seu emprego de engenheira lhe permite. A antiga ginasta é a primeira espanhola que integra a competição feminina e, apesar de ser a sua primeira vez na plataforma dos 21m, sabe que o cliff diving é um desporto em que as pessoas se respeitam e desejam sempre o melhor aos restantes atletas.

"Toda a gente apoia imenso, dando dicas, ajudando os outros e divertindo-se. Sinto-me muito confortável, ainda que seja a minha primeira vez. Estou a gostar imenso."

Nathan Jimerson, 31 anos, EUA

Desde que deixou a ginástica e se dedicou aos saltos há muitos anos atrás, Nathan Jimerson sempre teve uma paixão forte pelos saltos de grande altura. Pouco tempo depois de ter começado a fazer espetáculos de 'high diving', há cerca de oito anos, o pai de dois tatuou a palavra 'highdiver' no pescoço.

Estar no ambiente e aproveitar os momentos é o que mantém o acrobata baseado em Macau calmo e relaxado, ainda que sinta nervos por dentro. Estar na plataforma dos 27m, muito acima da água fria do rio Neretva, deixou-o arrepiado, no entanto. "A primeira coisa em que reparei foi na vista incrível da plataforma. Dentro de ti sentes os nervos e o entusiasmo, portanto estava a tentar controlar a minha respiração, fazer o que tenho a fazer e manter-me confortável com o salto."

Catalin Preda, 27 ano, Roménia

A reputação de Catalin Preda já o precedia, pelo que, quando o chegou a hora do romeno finalmente saltar da plataforma dos 27m em Mostar, os juízes, o diretor desportivo e os atletas observaram com atenção. O atleta de Bucareste, que vem de um background de saltos competitivos como o conterrâneo Constantin Popovici, não desapontou.

Na sessão de treinos, Catalin executou um salto que nunca tinha sido feito. Assim, sem mais nem menos. O salto, um mortal quadruplo atrás com duas piruetas tem um grau de dificuldade de 5.1 (menos de uma mão cheia de atletas do Circuito Mundial atingem este grau de complexidade), e, apesar do jornalista ter deixado todos fascinados, saiu da água com um simples "é possível!"

dt_180907_rbcdmos_pred_6714_0.jpg
Catalin Preda faz o seu salto inédito na sessão de treinos. Foto: Dean Treml/Red Bull Content Pool.

O atual líder do Circuito Mundial, Steven LoBue, confessou que estava a pensar fazer este salto para o ano, mas Catalin adiantou-se e vai executá-lo a partir da Stari Most na ronda final de sábado.

Uma pessoa humilde e introvertida, as suas palavras parecem ser escolhidas a dedo quando fala do seu fascínio pelo desporto. É a habilidade do nosso cérebro e corpo se conectarem de modo a ter orientação no ar, saber onde está, ter uma consciência especial. Os feitos que conseguimos fazer desta altura e o grau de risco fazem com que o resultado e a sensação sejam muito bons, é como flutuar. Não se trata de focar no que se tem de fazer, mas sim deixares-te fazê-lo."

Apesar de este grupo de estreantes ainda ter de provar o seu talento em competição, o campeão Jonathan Paredes  transbordava entusiasmo por eles. "É muito porreiro, eles lembram-me de como eu era há sete anos. Deixa-me orgulhoso ver estas caras novas!", disse o mexicano. Um selo maior de aprovação não há!

Vê em direto

Este evento vai ser transmitido em direto no dia 8 de setembro às 12h15 (hora de Portugal Continental) em www.redbullcliffdiving.com, Red Bull TV, Facebook e Youtube.

A Red Bull TV está disponível em smart TVs, consolas, dispositivos móveis e noutras plataformas. Sabe mais em about.redbull.tv