Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Menu

O bloqueio mental que impede Hunt de fazer piruetas

Gary Hunt
Por enquanto, as piruetas estão fora do menu para o britânico, que se concentra em rotações e no estilo

Gary Hunt, antigo campeão do Red Bull Cliff Diving e vencedor de seis títulos do Circuito Mundial, é também o detentor da primeira grande surpresa da época: o britânico anunciou que este ano, por enquanto, não vai adicionar qualquer tipo de piruetas ao seu reportório por culpa das dificuldades que teve com a manobra na última temporada, escolhendo concentrar-se em mortais e estilo na tentativa de reconquistar o título.

Com o início de época em Hell's Gate, no Texas, a aproximar-se, o atleta de 33 anos decidiu jogar mais seguro em 2018, acreditando que essa decisão não só o vai ajudar a eliminar os erros que lhe custaram o título em 2017, como será a chave para vencer o Circuito Mundial pela sétima vez na sua carreira.

Hunt recebe conselhos de Greg Louganis, diretor desportivo do Red Bull Cliff Diving e lenda olímpica dos saltos para a água. Foto: Dean Treml/Red Bull Content Pool.

Ao longo dos anos, Hunt desenvolveu e executou as manobras com o maior nível de dificuldade do campeonato, e, desde que o Circuito Mundial começou, em 2009, as piruetas têm sido um ponto fulcral dos saltos que mais pontos lhe valeram, ajudando o atleta britânico a vencer um recorde de 30 etapas no circuito. Contudo, uma lesão no início de 2017 semeou dúvida na mente do antigo campeão.

"Ficar perdido no ar ou ter um acidente é um revés enorme", diz Hunt. "Neste desporto tudo se trata de um questão de confiança, e assim que te magoas começas a questionar as tuas capacidades, o que pode ser muito debilitante."

À medida que a época foi avançando, a fé de Hunt nas piruetas foi descendo, culminando no salto falhado no Chile, que deu o título ao mexicano Jonathan Paredes.

"Quando cais de um cavalo", explica Hunt, "é-te dito para o voltares a montar. Mas têm sido uns longos sete meses desde o Chile."

Apesar das dificuldades que atravessou, é difícil imaginar toda uma temporada Gary Hunt sem uma única pirueta. Ele é, afinal, o dono do salto mais difícil do mundo: três rotações frontais e quatro piruetas e meia em menos de 3 segundos. Será que o britânico vai mesmo conseguir lutar pelo título sem a sua arma mais poderosa?

"Continuo a entrar na competição com a mentalidade de saltar tão bem quanto consigo", diz o atleta. "Vai ser muito mais difícil vencer com saltos com um menor grau de dificuldade, mas o que espero de mim é um conjunto sólido de saltos, sem erros, entradas limpas e boa forma."

E, com base no que demonstrou na sessão de treino no Texas, esta quinta-feira, as coisas parecem promissoras para o vencedor de seis Circuitos Mundiais.

"Tirei o pé do acelerador no início deste ano e fiz saltos mais fáceis", diz Hunt. "Mas o grau de dificuldade não importa quando fazes um novo salto, é sempre assustador quando tens dúvidas na primeira tentativa. Agora que já fiz uma repetição de cada salto vou dormir bastante melhor."

Não se viu nem uma pirueta na sessão de treino de Hunt em Hell's Gate antes do início da temporada, este fim de semana. Foto: Dean Treml/Red Bull Content Pool.

Apesar de ter decidido não correr riscos, este ano Hunt recorreu aos serviços de Hui Tong, um treinador de salto para a água de renome, pelo que espera voltar às piruetas em breve.

"Tenho muita sorte em ter o Hui Tong como meu treinador. Ele já teve bons resultados antes e está muito motivado e entusiasmado", considerou. "O meu físico está mais desenhado para piruetas. Tenho uma cintura muito fina e é por isso que viro muito mais rápido. Tenciono voltar a fazê-lo".

Por agora, as piruetas até podem estar fora do menu, mas a fome de vencer de Hunt mantém-se forte como sempre. Ainda que os saltos que nos vá servir sejam novos, será um erro não contar com um retorno à glória por parte do antigo campeão nesta histórica 10ª temporada do Circuito Mundial.

Vê em direto do Texas

Este evento vai passar em DIRETO no dia 2 de junho, às 20h15, em www.redbullcliffdiving.com, na Red Bull TV, no Facebook e no YouTube. A Red Bull TV está disponível em smart TVs, consolas, dispositívos móveis e noutras plataformas. Sabe mais em about.redbull.tv

Se não conseguires ver o evento em direto ou se simplesmente quiseres ver toda a ação novamente, a repetição vai estar disponível 'on demand' minutos após a sua conclusão.

Lê e vê mais sobre o Red Bull Cliff Diving aqui