Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Agora
Menu

Os candidatos à vitória no Red Bull Cliff Diving em 2018

Jonathan Paredes
Sabe quem são os favoritos na luta pelo título nesta temporada de celebração

O desporto está recheado de incertezas, mas a história recente do Red Bull Cliff Diving tornava quase impossível não prever a vitória de Gary Hunt no Circuito Mundial masculino todos os anos. Em 2017, tudo mudou: a temporada foi recheada de altos e baixos, com muitas trocas de líder, e Jonathan Paredes conseguiu quebrar finalmente o domínio de Gary Hunt com um fantástico salto final na derradeira prova. Graças a esta surpreendente vitória mexicana, a época de 2018 promete ser uma das mais entusiasmantes de sempre. A apenas algumas semanas do regresso do Circuito Mundial, sabe quais são os cinco principais candidatos à conquista do lendário troféu Rei Kahekili.

Alessandro De Rose (Itália)

Depois de um par de anos a progredir com o estatuto de wildcard, o italiano de 25 anos chocou o mundo na etapa de Polignano a Mare. A saltar em casa, Alessandro De Rose conseguiu ser o primeiro atleta wildcard a ganhar uma etapa do Circuito Mundial masculino, e ganhou fôlego para um final de época impressionante. As excelentes prestações nas últimas provas da temporada - incluindo um pódio na última etapa de 2017, no Chile - permitiram-lhe terminar no quarto lugar do Circuito Mundial e garantiram a presença no elenco permanente de 2018. Depois de um ano de afirmação, De Rose espera conseguir ainda melhor na 10ª temporada do Red Bull Cliff Diving, com a última etapa em Polignano a Mare a servir de motivação extra.

Destaques da carreira:

  • 2017 - Vencedor da etapa do Circuito Mundial do Red Bull Cliff Diving em Polignano a Mare, Itália (wildcard)
  • 2017 - Terceiro Lugar na Taça do Mundo de High Diving da FINA
  • Várias medalhas em competições italianas de saltos para a água a grande altura
Alessandro De Rose celebra a sua vitória improvável em Polignano a Mare na época passada. Fotografia: Damiano Levati/Red Bull Content Pool

Andy Jones (EUA)

A brilhante vitória na etapa noturna do Dubai e o terceiro lugar no Circuito Mundial de 2016 abriam excelentes perspetivas para o norte-americano de 33 anos na temporada de 2017. À entrada para a penúltima prova, em Mostar, Andy Jones tinha hipótese de lutar pelo título e melhorar a sua melhor classificação de sempre; no entanto, um péssimo salto na segunda ronda condenou-o ao último lugar na etapa da Bósnia e Herzegovina e retirou-o da luta pela vitória. Esta época, o mestre da consciência aérea espera transformar os seus movimentos únicos numa classificação final mais animadora, talvez até na conquista do Troféu Rei Kahekili.

Destaques da carreira:

  • 2016 - Vencedor da etapa do Circuito Mundial do Red Bull Cliff Diving no Dubai (Emirados Árabes Unidos)
  • 2007 - 'Saltador do Ano' da Universidade do Utah
Andy Jones salta das rochas dos Açores na segunda etapa de 2017. Fotografia: Dean Treml/Red Bull Content Pool

Blake Aldridge (Reino Unido)

Aos 35 anos de idade, Aldridge já teve de ultrapassar muitas lesões e dificuldades na carreira, sem nunca perder a chama competitiva que fez dele um atleta olímpico. A mentalidade forte e a disciplina de Blake foram demonstradas na temporada passada com um segundo lugar na primeira etapa da época, na República da Irlanda, uma vitória no Texas e um terceiro lugar na classificação geral do Circuito Mundial, o seu melhor resultado de sempre. Em 2018, o britânico vai dar tudo para manter a grande forma e parte com os olhos postos no troféu.

Destaques da carreira:

  • 3 medalhas em Campeonatos do Mundo de Saltos a Grande Altura
  • Antigo Campeão do Mundo de Saltos a Grande Altura
  • 2017 - Vencedor da etapa do Circuito Mundial do Red Bull Cliff Diving no Texas (EUA)
  • 2014 - Vencedor da etapa do Circuito Mundial do Red Bull Cliff Diving em Havana (Cuba)
  • 2013 - Vencedor do Marmeeting Furore (Itália)
  • 2009, 2010 e 2011 - Campeão Europeu de cliff diving
  • 2008 - Finalista nos Jogos Olímpicos
Blake Aldridge ficou eufórico com a vitória no Texas em 2017, a sua primeira conquista desde 2014. Fotografia: Dean Treml/Red Bull Content Pool

Jonathan Paredes (México)

Desde a sua primeira participação em 2011, Jonathan Paredes mostrou ser um dos mais habilidosos e dotados atletas do mundo do cliff diving. Depois de anos a fazer saltos seguros e pouco espetaculares, o mexicano de 28 anos acrescentou uma nova arma ao seu arsenal em 2017 - um dificílimo salto com quatro cambalhotas para a frente e uma rotação e meia. A adaptação foi difícil, mas depois das primeiras etapas, Paredes conseguiu dominar a técnica e somou resultados impressionantes; à entrada para a derradeira etapa no Chile, a disputa pelo título com Gary Hunt estava totalmente em aberto. Aproveitando um erro do campeão em título, Jonathan Paredes partiu para vários saltos quase perfeitos e roubou o troféu mais pretendido. Em 2018, o mexicano é o alvo a abater.

Destaques da carreira:

  • 2017 - Campeão do Circuito Mundial do Red Bull Cliff Diving
  • 2016 - Segundo lugar na Taça do Mundo de High Diving da FINA
  • 2015 - Vencedor da etapa do Circuito Mundial do Red Bull Cliff Diving em Mostar (Bósnia e Herzegovina)
  • 2015 - Segundo lugar na Taça do Mundo de High Diving da FINA
Jonathan Paredes saltou para a vitória no Circuito Mundial na etapa do Chile, a última de 2017. Fotografia: Romina Amato/Red Bull Content Pool

Gary Hunt (Reino Unido)

O seis vezes campeão do Circuito Mundial perdeu o trono do Red Bull Cliff Diving na temporada passada, mas continua a assumir o favoritismo apesar da ameaça de Jonathan Paredes e do aumento de qualidade geral. O génio britânico mostra uma vontade férrea de melhorar constantemente, e vai certamente querer mostrar o que vale depois do erro que lhe custou o título mundial em 2017. As impressionantes estatísticas mostram o domínio absoluto de Gary Hunt ao longo dos últimos anos: 30 vitórias em etapas e 54 presenças no pódio em 65 provas. Será que 2018 vai ser o ano do sétimo título?

Destaques da carreira:

  • Seis vezes campeão do Circuito Mundial do Red Bull Cliff Diving
  • Vencedor de 30 etapas do Circuito Mundial
  • 2016 - Vencedor da Taça do Mundo de High Diving da FINA
  • 2015 - Campeão do Mundo de High Diving da FINA
  • 2006 - Terceiro lugar na competição de saltos sincronizados de 10 metros nos Jogos da Commonwealth
Gary Hunt foi surpreendido nas cataratas do Chile, mas promete lutar como nunca para recuperar o troféu Rei Kahekili em 2018. Fotografia: Dean Treml/Red Bull Content Pool

Além destes cinco favoritos, há mais cinco atletas permanentes que terão certamente uma palavra a dizer na 10ª temporada do Circuito Mundial. Os norte-americanos David Colturi e Steven LoBue prometem lutar pela vitória em todas as etapas, enquanto o checo Michal Navratil e o polaco Kris Kolanus esperam ser mais regulares e lutar por uma boa classificação final. Quanto à lenda colombiana Orlando Duque, a esperança é de repetir a excelente prestação que lhe permitiu vencer nos Açores e liderar o Circuito Mundial durante parte da temporada de 2017, apesar dos 44 anos já pesarem no corpo.

Sabe mais sobre o Red Bull Cliff Diving aqui